Anúncio
in ,

Desempregado ou informal? Conheça o programa que paga até R$ 1.000

Ideia é garantir qualificação aos trabalhadores e dar uma nova oportunidade de retorno ao mercado de trabalho por quem procura emprego.

Desempregado ou informal? Conheça o programa que paga até R$ 1.000 - Foto: Reprodução
Anúncio

Quem atua como trabalhador informal, Microempreendedor Individual (MEI) ou está desempregado no momento pode conseguir um benefício de até R$ 1 mil. A ação foi lançada pelo governo de um estado brasileiro, cujo objetivo é oferecer qualificação para que pessoas de baixa renda consigam retornar ao mercado de trabalho.

Leia mais: Quem tem direito ao seguro-desemprego de até R$ 2.106,08 em 2022?

Anúncio

O benefício em questão é oferecido pelo Governo do Estado de São Paulo, por meio do programa Bolsa do Povo Empreendedor. A ajuda no valor de R$ 1 mil é divida em duas parcelas de R$ 500, pagas a quem realiza um curso de qualificação online com carga horária de 10 horas.

Os módulos estão sob responsabilidade do Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) pelo programa Empreenda Rápido. Para receber o dinheiro, quem ainda não for MEI deve se formalizar após a conclusão do curso.

Quem pode participar do programa?

Anúncio

O programa é aberto para todos os informais, sendo prioridade pessoas de baixa renda, mulheres, cidadãos com idade entre 18 e 35 anos, pessoas pretas(os), pardas(os), indígenas ou pessoas com deficiência (PcD). Além disso, para participar é necessário ser alfabetizado, desempregado ou MEI residente do Estado de São Paulo.

Como se cadastrar no Bolsa do Povo Empreendedor?

Os cadastros para participar do programa Bolsa do Povo Empreendedor tiveram início em março e permanecem até outubro deste ano. Ao todo, são oferecidas 130 mil vagas para aqueles que cumprem com os critérios necessários.

Anúncio

As inscrições estão disponíveis no site do Bolsa do Povo. Ao final da página, basta clicar na opção “Bolsa Empreendedor”. Durante a solicitação é preciso informar o CPF, RG, nome completo, data de nascimento, Número de Identificação Social (NIS), renda familiar, escolaridade, CNPJ, além do horário que deseja realizar o curso.

Os candidatos são selecionados mensalmente pelo governo de SP, sendo notificados via e-mail e SMS. Quem não for chamado de imediato terá a chance de participar das convocações feitas nos próximos meses.

Anúncio